Agressividade em Gatos

Gato que brinca mordendo, avança nas pernas, nas mãos... E gatos que mordem quando são acariciados. Por que fazem isso? Será que tem alguma explicação?


Felizmente, sim! Mas o desafio é sabermos os reais motivos de os gatos morderem. Eles podem variar bastante.


Se você está tendo esse problema, criei aqui um guia rápido para te ajudar com essa questão. Como identificar e o que fazer. Vamos lá?


  • SAÚDE. É isso mesmo! Há quanto tempo seu gato não faz um check-up completo? Não vale dizer que ele é vacinado todos os anos... pois isso é o básico! E o restante? Hemograma, ultrassom, algum exame de sangue mais específico. A grande questão é: precisamos saber se o seu gato está 100% saudável! Não é só alimentar o gato, vacinar, vermifugar e achar que está tudo bem, porque pode não estar!!! Muitos casos de agressividade não são comportamentais, mais sim clínicos.


  • VOCÊ MORA EM CASA? PRESTE ATENÇÃO! Gatos errantes que passeiam pelo seu quintal, telhado, frente, etc. podem ser os culpados do que chamamos de Agressividade Redirecionada. Na qual seu gato gostaria mesmo é de bater nos invasores do território, mas como não pode, ele bate nos outros gatos da casa, em você e até no cachorro. É uma questão difícil de sanar! Não deixe de alimentar os gatinhos da rua, mas tente fazer longe da sua casa. Fale com ONGs, protetores independentes e promova a castração desses animais. Se eles estão na rua, infelizmente é culpa de alguém que não exerceu a guarda responsável... Também há repelentes químicos seguros (à base de citronela). O ideal é fechar todos os acessos: muros, vãos, portões, quintal, laterais. Cercas a 45 graus, a 90 graus, aumentar muros, colocar telas.


  • GATOS EM PROCESSO DE ADAPTAÇÃO. A rotina de agressões pode ser até diária se não trabalharmos o processo de adaptação de forma correta. Os gatos se agridem na tentativa de colocar o oponente para fora do seu território, o que é totalmente normal. Achar que os gatos vão "se adotar" é um pensamento romantizado. Acontece? Sim, mas é raro. Preparei dois artigos que podem te ajudar nessa tarefa que não é fácil, pois o gato é um animal que NÃO forma grupos. Aqui está a primeira parte do texto e aqui a segunda.


  • 5 GATOS OU MAIS? SINAL AMARELO! Não são só os estudos que comprovam que há uma metragem mínima por gato em um território, mas também a minha experiência. Raramente uma casa com mais de 5 gatos é harmônica (não estou dizendo que não exista, mas é mais raro). Inclusive esse foi um dos tópicos em um congresso de medicina de felinos aqui no Brasil há 2 anos. Transtornos de eliminação (xixi e/ou cocô fora de lugar) são frequentes, além da agressão entre gatos. A solução é identificar os indivíduos mais "sensíveis" nas relações sociais, os gatos que não se dão bem com outros. Separe esses gatos que brigam, setorize a casa, espalhe os recursos, crie rotas de fuga, identifique pontos de conflito (corredores e escadas), coloque algumas prateleiras (ou use móveis que você já tem!).


  • COMO VOCÊ BRINCA COM O GATO? Brincadeiras de mão, brincadeiras que provocam, brincadeiras mais pesadas, brincadeiras de cão... Brincadeiras de cão? Sim! Muita gente chacoalha a cabeça do gato, provoca o gato! E depois reclamam que o gato "está agressivo"! Entendam: o gato é um predador e também uma presa. Dependendo do movimento que você faz com ele, ele vai se defender! #fato! Dica preciosa: parem de brincar com as mãos, mãos embaixo de edredons! Comece a usar brinquedos de distância, como varinhas longas, por exemplo. Pare de acariciar o gato enquanto ele brinca. Ele está "caçando"! E crie uma rotina diária de brincadeiras. Muitos gatos avançam nas pernas porque estão ociosos. Passamos o dia fora. Quando o gato interage conosco, não queremos!?!?! Cada gato tem sua forma de te chamar para brincar. Já pensou nisso?


  • AGRESSIVIDADE POR AFAGO. Você acaricia o seu gato e... nhac! Ele te morde "do nada". hhmm... será mesmo que foi "do nada"? Quanto tempo está durando esse carinho? De que forma está sendo feito? Você é delicado? Dicas preciosas: faça carinho por apenas alguns segundos e não espere o gato reclamar! Aos poucos, ele mesmo virá pedir carinho. O recondicionamento leva tempo, mas vale a pena!


  • GATO RECÉM ADOTADO / NÃO SOCIALIZADO. Gato adotado há menos de 3 meses? Deixe o gato chegar no território, se ambientar, conhecer a família humana e a felina. Você não sabe o que esse gato passou, como viveu, qual a sua condição de vida anterior... Dê tempo a ele! Não pense no SEU tempo. Pense no tempo DELE! E um animal não é igual ao outro. Não é porque você adotou um gato e deu certo, que o gato seguinte será igual. Se irmãos gêmeos são diferentes, por que com animais não humanos seria diferente? Mas Valéria! Adotamos um gato há 6 meses e ele continua mordendo... então vem a minha pergunta: qual o nível de socialização? Muitos gatos estão na condição semi-feral, onde tiveram pouco contato com o ser humano. Vamos dar tempo a ele. Alguns gatos levam mais tempo para se habituarem ao ser humano. E isso é totalmente natural!


  • ALTERAÇÕES NA ROTINA DA CASA: morte na família, nascimento de bebê, alguém que veio morar na casa (temporariamente ou não), alguém que saiu da casa, pintura, reforma, chegada de novos móveis, troca de móveis de lugar, mudança de horários dos moradores (começar escola, faculdade, etc.). Esses são alguns exemplos mais comuns. Gatos são animais de rotina! Voltar ao dia a dia dele pode demorar um pouco. Portanto, paciência com ele. Procure dar mais atenção, interagir dentro do limite que ele permite, brincar.


  • ALTERAÇÃO NO PADRÃO SONORO DO TERRITÓRIO: vocês se mudaram para uma casa/apartamento mais barulhento? Nasceu o bebê? Vocês foram morar perto de um aeroporto ou de uma avenida movimentada? Esse é um tópico que as pessoas não se dão conta. Gatos são muito sensíveis a ruídos! Escola, bloco de carnaval, ensaio de escola de samba, obra, baile funk na rua... Já trabalhei em todos esses casos! O que ajuda bastante é fazer um trabalho de dessensibilização de ruídos, entrar com florais. Em casos mais severos, até medicar o gato!


Te dou a sugestão de ler esse texto mais de uma vez, pensar e refletir. Fale também com seus familiares! Com certeza, o motivo dos ataques e mordidas está em um desses tópicos. Se você precisar de ajuda profissional, estou aqui para te direcionar. E lembre-se: o comprometimento do tutor é o que faz a diferença em um trabalho de recondicionamento do animal.


Um beijo.

Valéria.



89 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

© 2023 by The Animal Clinic. Proudly created with Wix.com